Compartilhe essa Notícia:

A Convenção Estadual das Igrejas Assembleias de Deus do Maranhão (CEADEMA) divulgou comunicado, assinado pelo presidente da entidade, Pedro Aldi Damasceno, que orienta pastores presidentes de congregações a retomarem de forma gradativa a rotina de celebrações nos templos em todo o estado.

O documento reconhece a proliferação da Covid-19 como um problema mundial, declarada pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e a situação de calamidade pública oficializada no Maranhão por meio do decreto nº 35.672/2020, do Governo do Estado.

Apesar disso, o colegiado toma por base o decreto presidencial nº 10.292/2020 que incluiu no rol de atividades essenciais durante a crise de saúde pública, as organizações religiosas de qualquer natureza, e orienta pastores e membros a retornarem à rotina das igrejas.

A entidade reforça ter orientado anteriormente a suspensão dos cultos por um período de 15 dias, como medida preventiva contra o coronavírus, prazo esse já concluído.

“A CEADEMA, prezando sempre pelo equilíbrio e prudência, vem por meio deste, recomendar a todas as Assembleias de Deus no Maranhão as seguintes orientações: 1- Com o decurso do prazo da recomendação anterior, ficará a critério de cada pastor presidente de campo a definição quanto ao dia de retorno às atividades dos cultos, o que deverá ocorrer de forma progressiva e gradual, observando as orientações legais das autoridades e dos órgãos de saúde pública, bem como as particularidades de cada local”, destaca trecho do comunicado.
Diálogo

A CEADEMA também orienta pastores e a buscarem diálogo com autoridades locais e com os órgãos de saúde pública, antes de recomeçarem os cultos.

“2- Que antes de recomeçar as atividades de cultos nos templos, o pastor deve buscar diálogo e entendimento com as autoridades locais, com os órgãos de saúde pública, ministério público e executivo municipal, acerca da legislação e medidas ao enfrentamento do COVID-19 em sua localidade”, destaca.

A entidade também prega cautela e medidas preventivas de higiene dentro dos templos.

“3- Quando retornarem aos cultos, os irmãos não devem ignorar certos cuidados como: higienizar frequentemente as mãos; evitar cumprimentos com aperto de mãos, abraços, e beijos; se estiver com sintomas de gripe recomendamos que cultuem a Deus em seus lares até que se recuperem dos sintomas. E se fizer parte do grupo de risco, observar os critérios postos pelas secretarias de saúde. Seguindo a instrução de profissionais da saúde e somando forças no combate ao avanço do coronavírus, orientamos que quando retornarem as atividades de culto no templo, evitem aglomerações, por isso recomendamos que em cada templo seja observada a distância mínima de segurança de um irmão para o outro a cada 2m”, enfatiza.

Apesar de orientar a retomada dos cultos nas igrejas, a convenção da Assembleia de Deus afirma que a responsabilidade pela efetivação de medidas de prevenção é exclusiva do pastor.

“5- É de inteira responsabilidade dos pastores presidentes de cada campo a efetivação das medidas preventivas no enfrentamento ao COVID-19 no âmbito da sua igreja, podendo os mesmos responderem judicialmente pelo descumprimento das mesmas”.

Blog do Gilberto Leda (São Luís).
⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

21 Comentários

  1. pra que tanta vontade louca para retornar os cultos....esses pastores só vivem disso....os fiéis estao em suas orações em casa....eita bando de urubus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O autor desse comentário acima seria um poeta se ficasse calado.

      Excluir
    2. Respeito a fé das pessoas é bom... não temos culpa se a rede Globo colocou pânico em você

      Excluir
  2. Esses pastores estão preocupado, não com os fiéis mais com o dízimo é a coleta de cada culto,sempre vai existir pessoas que se aproveitam da situação, Srs pastores reflitam o caso e sério, não ponha a sua comunidade em risco

    ResponderExcluir
  3. Tá fazendo falta💵💵💵💵💵💵💵💵 acorda povo evangélico esses falsos pastores só vive aos custos do povo

    ResponderExcluir
  4. Pior categoria que existe é a de pastores,eu nunca vi um pastor fazer uma caridade ou um trabalho social.Eles só pensam no lucro.Bando de urubus.se aproveitam da fé das pessoas para enriquecer.

    ResponderExcluir
  5. Esses pastores estao submergidos numa loucura coletiva.

    ResponderExcluir
  6. Esses pastores só pensam no dinheiro do dia a dia, tenham compaixão do próximo... Reflitam nessa sexta-feira Santa, não pensem só no dinheiro,pesem no próximo.....

    ResponderExcluir
  7. Infelizmente nessa hora estão pensando mais no financeiro, o ofertorio ta falando mais alto

    ResponderExcluir
  8. Dízimos diminuindo

    ResponderExcluir
  9. tem que votar os cultos....fica facil enganar os fiéis.....bando de desgraçados....olhem o momento do mundo ao todo...esses pastores nao tem nem o ensino medio....vao trabalhar!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cuidado com a língua, o q vc tem a ver com a vida dos outros cada um vai prestar conta sua .tenho pena da sua .

      Excluir
  10. Tem quer paga a prestação da hilux, faculdade dos filhos, prestação do apartamento na capital etc... e resto q se lasque!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai fazer sua oração, p vc sobreviver a essa pandemia. Amargurado

      Excluir
  11. Esses comentários acima são feitos só por esquerditas:
    Ptistas,
    Comunistas,
    Pdetistas,
    Psolistas.
    Por isso pastor Damasceno, largue de apoiar essa raça esquerdista do Maranhão. Tudim tem raiva de crente e de pastores. Deus me guarde de um dia ainda da um voto num esquerdita.

    ResponderExcluir
  12. Eu tenho pena de pessoas assim, que nao sabe o que fala. Quando está passando por dificuldade e ninguém resolve. Aí vc sabe procurá o pastor para orar por vc.

    ResponderExcluir
  13. Eu tenho pena de pessoas assim, que nao sabe o que fala. Quando está passando por dificuldade e ninguém resolve. Aí vc sabe procurá o pastor para orar por vc.

    ResponderExcluir
  14. ai sao os verdadeiros ladrões de consciência.....essa corja de pastores....roçar uma quinta nao querem.

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA