Compartilhe essa Notícia:

Agência do Banco do Nordeste da cidade de Pedreiras

A crise do coronavírus vem afetando diretamente a economia de Pedreiras, município onde houve fechamento do comércio não essencial em duas ocasiões. E para tentar minimizar os impactos, linhas de financiamento do Banco do Nordeste foram liberadas para ajudar micro, pequenos e médios empresários da região.  

As medidas de fechamento dos estabelecimentos comerciais, que nunca causaram aglomerações na cidade (veja AQUI)foram suficientes para deixar muitos empreendedores com as contas em alerta ou a beira da falência, situação que leva um quadro delicado na economia de Pedreiras.

Com a reabertura do comércio, recentemente surgiu a opção de fornecer linhas de crédito aos empresários, o dinheiro que vem do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) e visa ajudar os empresários a honrar seus compromissos e manter empregos. 


Porém, apesar da medida teoricamente ter o objetivo de preservar atividades produtivas, e garantir empregos, durante a pandemia, a burocracia vem sendo uma grande barreira para os comerciantes, que vem passando por uma experiência frustrante para ganhar acesso à linha de crédito.


"A burocracia é grande para ter acesso a esse financiamento, que talvez cheque só a 100 mil reais; nos exigem que apresentem limites de pagamentos, boletos, notas fiscais, vamos apresentando e apresentando mais comprovantes e nada do recurso disponibilizados para enfrentamos essa pandemia. Esse socorro está atrasando e não estamos ficando desesperançados com tantas burocracias. Várias pequenas empresas já quebraram  muitos funcionários foram mandados embora", comentou um empresário. 

Ainda assim, os empresários não culpa os servidores das instituições bancárias, mas a burocracia para acessar a linha de crédito. 

"Entendemos que essa situação não é culpa dos funcionários ou do gerente do Banco, mas do sistema em si, pois para pegarmos esse dinheiro precisamos de notas fiscais que podem ser até de 6 meses atrás, acompanhadas de suas respectivas duplicatas pagas. Ora, quem é que vai procurar por duplicatas que estão jogadas em tudo quanto é lugar? Na minha empresa, infelizmente estamos trabalhando agora com metade do quadro original, pois as pessoas que não estão afastadas estão doentes. Já os contadores também passam pela mesma situação e até mesmo os bancos estão desfalcados de pessoas.", disse um comerciante pedreirense, que reforçou a ideia de que o acesso ao dinheiro deveria ser simplificado.

Por conta deste impasse, a situação do comércio em Pedreiras, mesmo com a reabertura, continua complicada. Em meio a pior crise econômica da história do nosso país, a classe empresarial segue desamparada e perdida, sem apoio consistente para manter estratégias eficazes e cuidar do seu quadro de funcionários na atual situação. 


Mais informações

- O comércio de Pedreiras não causou aglomerações: https://www.carlinhosfilho.com.br/2020/05/o-comercio-de-pedreiras-nao-causou.html
⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

0 Comentários

Informe da ALEMA