Compartilhe essa Notícia:


“Vocês estão procurando pau pra cabeça de vocês”, disse


No final de semana, um grupo de cidadãos, que foram beneficiários em um programação habitacional, adentrou o terreno ao lado do Bairro Rapina, na cidade de Paulo Ramos (MA), para tomar posses das construções inacabadas. Eles fazem parte das 200 famílias que estão aguardando há mais de 5 anos pelas sonhadas moradias do Residencial Morada Nova. A construção é de responsabilidade do empresário Deusimar Serra, antes mesmo dele se eleger prefeito daquele município.

Os moradores foram cercados por policiais militares lotados em Paulo Ramos. E quem parecia que comandava a operação de expulsão das famílias era um indivíduo truculento, identificado como João Filho, irmão do prefeito Deusimar Serra (PCdoB).

"Aqui deram pra nós, nosso nome está registrado lá e porque vocês nunca terminaram de fazer", indagou um senhor. 

“Vocês estão procurando é pau pra cabeça”, respondeu ameaçadoramente o irmão do prefeito contra os cidadãos na frente dos policiais. Estranhamente, os PMs ficaram calados, em vez de conduzir João Luís pela ameaça velada. 

“Estou há 45 anos que não tenho uma casa e esse monte de casas aqui", explicava um dos beneficiários para os Policiais armados.

Por outro lado, um policial militar tentou dialogar com os beneficiários para deixarem o terreno e procurar conquistar a casa própria de uma forma ‘correta’ e não invadindo a propriedade. O PM orientou que eles procurassem os órgãos de justiça em busca de seu direito. Ocorre que esses moradores procuraram agir dentro da lei desde o começo ou da ‘forma correta’, como pediu o PM. Eles se inscreveram e foram contemplados no Programa Habitacional, já era para eles estarem em baixo de seus tetos há anos, ocorre que o então empresário Deusimar Serra recebeu o recurso (mais de um milhão de reais) e não concluiu as casas. Essa confusão foi parar na justiça.

“Todos estamos revoltados com essa demora; depois de 5 anos de espera, sem aguentar mais, decidimos invadir para tomar o que é nosso ou seja, as nossas casas. Vamos providenciar a conclusão das obras, mas estamos é sendo ameaçados”, reclamou uma senhora que entrou em contato com o blog.


Veja todos esses detalhes no vídeo. A partir do 5 minuto, João Filho chama as famílias de porra e sai empurrando quem está a sua frente. Os PMs observam. 

Entenda a história

“Desde 2015, que o então pré-candidato a prefeito de Paulo Ramos, o empresário Deusimar Serra (PCdoB), promete entregar essas casas para o povo. Ele apregoa agora que se ganhar a reeleição promete terminar a obra e entregar as casas. Ele chegou a justificar que uma das razões para a paralisação das obras aconteceu em decorrência do então prefeito Dr. Tanclêdo se recusar a assinar documento para dar início ao trabalho. Ocorre que em 2015 ele tinha o alvará da prefeitura de Paulo Ramos autorizando a construção, não construiu, em 2016 tinha que tirar um novo, mas o prefeito Dr. Tancledo ficou desconfiado e não autorizou. Deusimar aproveitou para culpar o prefeito na época. 

Deusimar assumiu a prefeitura em janeiro de 2017 e nada foi resolvido nesses três anos. As 200 famílias que ele cadastrou se sentem enganadas. “Depois de três anos em que as obras ficaram paradas, as casas estão todas deterioradas devido ao tempo. Ontem, os moradores que eram beneficiários resolveram tomar uma atitude e simplesmente resolveram invadir os terrenos, e o prefeito na mesma hora acionou a polícia para tirar as pessoas de dentro. Quem estava na frente, junto a polícia, era o irmão do prefeito”, comentou um leitor do blog.

“E olha que isso foi depois de três anos e cinco meses de governo dele. O pessoal ainda teve foi muita paciência, porque ele enganou todo mundo em 2016”, finalizou.

⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

4 Comentários

  1. O povo gosta de uma coisa dada vao trabalhar que vcs conquista agora fica esperando cai do céu cai nao bando de desocupados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A questão não é essa, o problema é que esses mortadires foram contemplados com essas cassas, mas o prefeito pegou R$ 1 mi do governo federal, sumiu com o dinheiro e não terminou a construção das casas e ainda bota esse baixinho infarento irmão dele pra querer dar sugesta no povo. Se eu tivesse aí nessa hora, esse baixinho levava umas lapadas de umbigo de boi.

      Excluir
  2. Esse baixinho aí, o João Filho, é cabra de peia e fica botando boneco com esses pobres, mas quando é um com mais condição e treme.

    ResponderExcluir
  3. E por k não pegaram esse pinico de anão de taca

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA