Compartilhe essa Notícia:



O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (22), em discurso na Assembleia das Nações Unidas (ONU), que o Brasil é "vítima" de uma campanha "brutal" de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal.

O discurso foi apresentado por meio de um vídeo gravado. Por causa da pandemia de Covid-19, a reunião da ONU neste ano, baseada na sede da entidade em Nova York, foi virtual.

O presidente também disse que:

-A floresta amazônica é úmida e só pega fogo nas bordas

-Os responsáveis pelas queimadas são o 'índio' e o 'caboclo'

-O óleo derramado no litoral brasileiro em 2019 é venezuelano, foi vendido sem controle e chegou à c-costa após derramamento 'criminoso'

-Orientações para as pessoas ficarem em casa na pandemia 'quase' levaram o país ao 'caos social'

-O Brasil é um país cristão e conservador, e a 'cristofobia' deve ser combatida

-Bolsonaro disse que o Brasil tem a "melhor legislação" sobre o meio ambiente em todo o mundo e que o país respeita as regras de preservação da natureza.

Para ele, a riqueza da Amazônia motiva as críticas que o país sofre na área ambiental. O presidente afirmou que entidades brasileiras e "impatrióticas" se unem a instituições internacionais para prejudicar o país.

"Somos vítimas de uma das mais brutais campanhas de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal. A Amazônia brasileira é sabidamente riquíssima. Isso explica o apoio de instituições internacionais a essa campanha escorada em interesses escusos que se unem a associações brasileiras, aproveitadoras e impatrióticas, com o objetivo de prejudicar o governo e o próprio Brasil", afirmou Bolsonaro no vídeo.

A gestão ambiental do governo brasileiro é um dos principais motivos de críticas que o país recebe da comunidade internacional. Desde o ano passado, entidades, países e personalidades contestam as políticas do Brasil para o meio ambiente. Países europeus apontam os desmatamentos no país como entrave para confirmação do acordo comercial Mercosul-União Europeia.

O discurso de Bolsonaro foi proferido em um contexto de intensas queimadas que assolaram o Pantanal nas últimas semanas. O bioma teve em setembro o recorde histórico de focos de incêndio para o mês. Na Amazônia, principal alvo de preocupação da comunidade internacional, os alertas de desmatamento subiram 34% de agosto de 2019 a julho de 2020, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

No discurso, Bolsonaro disse que a floresta amazônica é úmida. Por isso, segundo ele, o fogo não se alastra pelo interior da mata. De acordo com o presidente, os incêndios ocorrem apenas nas bordas da Amazônia e são realizados pelo "índio" e pelo "caboclo".

Fonte: G1
⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

4 Comentários

  1. O Brasil tá ridículo globo lixo e blog e tudo de “ESQUERDA”

    ResponderExcluir
  2. Uma pergunta: - quem depositou 237milhões na conta do advogado do Luladrão ?

    ResponderExcluir
  3. Eu gosto do presidente pq ele nao esconde nada nao fala mesmo.

    ResponderExcluir
  4. E todo ano não queima não ? Floresta só começou a pegar fogo na estação quente do ano de 18 pra k ? Hipocrisia que fala.

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA