Compartilhe essa Notícia:


O senador Weverton (PDT-MA) votou a favor do auxílio emergencial ontem (4) no Senado Federal. A votação da PEC Emergencial (PEC 186/2019) teve vários destaques e, entre eles, o do auxílio, que teve voto favorável do parlamentar.

Aprovada em segundo turno, a proposta seguiu para a Câmara dos Deputados. O valor, a duração e a abrangência do novo auxílio ainda serão definidos pelo Executivo. “É preciso esclarecer que votei a favor do auxílio na PEC 186, votei contra apenas o arrocho do funcionalismo.”

A proposta permite ao governo federal pagar o auxílio em 2021 por fora do teto de gastos do Orçamento e do limite de endividamento do governo federal. Como o texto teve vários destaques, Weverton se posicionou contra a proposta que trava o serviço público e contra o valor do teto dos gastos com o benefício de R$ 44 milhões, inferior ao valor de 2020. Para o parlamentar, isso pode reduzir as parcelas e quantidade de pessoas que irão receber.

“Sempre defendi o valor de R$ 600 para todos os que precisarem. Vivemos um momento de crise e reduzir a parcela vai prejudicar muita gente. Muitas pessoas estão sem poder trabalhar e só possuem este recurso para sobreviver”, declarou o senador.

A primeira versão do auxílio ultrapassou os R$ 300 bilhões de custo total, tendo chegado a cerca de 68 milhões de pessoas, em duas rodadas: na primeira, que durou cinco meses, foram parcelas de R$ 600 por pessoa; na segunda, chamada de “auxílio residual”, foram parcelas de R$ 300 durante quatro meses, e com um público-alvo menor. O novo montante representa menos do que o auxílio residual, que custou cerca de R$ 64 bilhões.

Caso a PEC seja aprovada na Câmara, o governo ainda terá que editar uma medida provisória (MP) estabelecendo as novas regras do benefício. A previsão são quatro parcelas de R$ 250, valor criticado por Weverton, que defende benefício de R$ 600, como ocorreu no início da pandemia.

“Nossa luta não vai parar. O auxílio tem que ser pago por mais tempo, para mais pessoas e no valor de R$ 600”, ressaltou.

O senador também revelou preocupação com parte do texto aprovado na PEC que limita reajuste e progressão para servidores públicos. “Estão criminalizando os servidores públicos, o que é um absurdo, porque é o serviço público que garante saúde, educação e assistência para a população mais pobre.” Weverton lembrou que ao sustar a possibilidade de concurso, a medida adia o sonho de milhares de jovens concurseiros que estão aguardando uma oportunidade de trabalho. Ele também ressaltou que a maior parte do funcionalismo não ganha altos salários e a medida do governo federal prejudica grupos importantes para o país, como professores, policiais e profissionais de saúde.

“É possível garantir o auxílio de R$ 600, sem esse ajuste fiscal que paralisa o serviço público. Em 2020 o decreto de emergência relatado por mim garantiu o auxílio e agora em 2021 apresentei um projeto prorrogando esse decreto”, explicou.

⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

12 Comentários

  1. Podia esses auxílio sair dos salários do políticos

    ResponderExcluir
  2. Por que esse senador junto com os seus deputados não pressionam o governador comunista para dar um auxílio emergêncial pros maranhenses? Já que gosta tanto da população?

    ResponderExcluir
  3. Filho de uma égua, tira do salário deles, povo burro !!!!
    Auxílio pago com dinheiro da união, dinheiro arrecadado com impostos, impostos que ninguém vai pagar com tudo fechado, aí vem governador safado fazer Lockdown !!!! Cria mais leitos com o dinheiro que roubou !!!!

    ResponderExcluir
  4. A intenção desses malditos esquerdistas, é simplesmente quebrar o Brasil, e botar a culpa no presidente!

    ResponderExcluir
  5. Oh! meu amigo venha aqui em Pedreiras, o povo rir e chora, a situação aqui tá muito difícil, junta o pessoal de vcs aí, Dr. Walber, Everson Veloso, os Dirigentes da CDL e companhia, Presidente da FAMEM, aquela comitiva toda, ah! o Simplício tbm, para RESOLVER, o povo já estão falando em formar uma comitiva e procurar a Promotoria.
    Eu nunca tinha visto isso aqui em Pedreiras, a rejeição tá grande.
    Antes, os vereadores, os meios de comunicação era quem se posicionava, agora é o povo.
    O povo rir e chora.
    Venha Senador!

    ResponderExcluir
  6. Não me engano com êsse aí.

    ResponderExcluir
  7. Esse senador é fraquinho.

    ResponderExcluir
  8. 333.351,22 foi a conta( fora o salario) que esse fanfarrão e falastrão gastou em 2020.

    Com esse valor que virou cinza na mão desse senhor daria para pagar 555 AUXILIO EMERGENCIAL. Falar até papagaio fala. Pague Auxilio pro povo que ta ficando sem comer SENADOR. chame comunista evangélica e seu outro colega tambem senador. Bora resolver isso??

    ResponderExcluir
  9. Mais um oportunista querendo fazer Ibope encima da situação, não vejo o seu chefe dino fazer nada pra ajudar a população, pelo contrário o sonho desses políticos é ver todo a população na miséria, aí chegam com uma esmola e vão comprando os desafortunados.

    ResponderExcluir
  10. Muitos pais e mães de família foram despedido fos seus serviços i agora vao se manter de que ?

    ResponderExcluir
  11. É muito fácil pedir, atirar com polvo alheia. Esse senador, é mais um dos esquerdistas que vivem perseguindo BOLSONARO, querendo quebrar o PAÍS, trazer o LULADRÃO de volta. Porquer vocês não fazem uma votação para diminuir as mordomias de vocês Senadores e Deputados federais para ajudar as pessoas, pelo menos, nesse momento de calamidade. Pelo contrário, as mordomias de vocês só aumentam.quando vocês morrerem, com ceteza, pagarão caro, por toda essa ROBALHEIRA!

    ResponderExcluir
  12. Doido pra ganhar os votos dos maranhense,mais não me engana não, tu é o candidato do papada de porco, não vai não

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA