quinta-feira, 13 de julho de 2017

Uso da máquina para promoção pessoal de Dino passa despercebido por Gonzaga

Do Atual7


Levantamento aponta pelo menos duas irregularidades do governador às custas do erário. Em tese, ato caracteriza improbidade administrativa e crime de responsabilidade

Se no plano federal o chefe da Procuradoria-Geral da República (PGJ), Rodrigo Janot, tem cumprido seu papel de fiscalizar o governo Michel Temer com dever, consciência e independência, no plano estadual, o chefe da Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ), Luiz Gonzaga, tem se furtado de agir e deixado o governador Flávio Dino (PCdoB) usar a máquina para fazer até mesmo promoção pessoal com o dinheiro público.
Levantamento feito pelo ATUAL7 aponta que o comunista usou ações e bens públicos pelo menos duas vezes para divulgar o próprio nome acompanhado da logomarca do Governo do Maranhão. Em tese, esse tipo de aproveitamento marginal é considerado ato de improbidade administrativa e crime de responsabilidade, ambos tendo como punição o afastamento do agente público do cargo e suspensão de seus direitos políticos, por até cinco anos.

Ainda segundo o levantamento, o outro uso da máquina pública por Flávio Dino para promoção pessoal aconteceu durante evento com prefeitos eleitos e reeleições em 2016, realizado no Rio Poty Hotel, em São Luís.
Embora em ambiente fechado, o nome do governador do Maranhão voltou a ganhar destaque, desta vez em slides apresentados aos gestores durante o encontro, nas laterais de um painel.

Diante da omissão da PGJ, o próprio Palácio dos Leões não se rogou e fez questão de divulgar no site institucional do governo estadual que o nome do evento era ‘Governando Juntos: Encontro de Prefeitos e Prefeitas com o Governador Flávio Dino’ — confira antes de ser editado.
Segundo números confirmados pela Secretaria de Estado da Comunicação Social e Assuntos Políticos, mais de 90% dos gestores municipais compareceram ao evento — público, mas tratado como privado. Tudo bancado com o dinheiro do contribuinte maranhense.
Apesar de vender uma gestão de forte combate à corrupção e uso irregular do dinheiro público, pelo menos publicamente, não há qualquer notícia dando conta de que o chefe da PGJ tenha instaurado algum procedimento no Parquet para tentar coibir a ação marginal e fazer valer o princípio constitucional da impessoalidade dos atos da administração pública. Um e-mail foi enviado para a assessoria de comunicação do Ministério Público, a fim de que Luiz Gonzaga possa finalmente se manifestar sobre o uso do erário para bancar a promoção pessoal do governador.

8 comentários:

  1. eu naovotei e nem voto no cominista e ai isso ai e e bom pra quem defente esse governo e ai gostararam?nao esse so pença em dinheiroDeus e pai e amor,mais tambem e justiça

    ResponderExcluir
  2. Pode chorar à vontade Carlinhos o choro é livre, mas o Dino vai ganhar novamente. Isso tudo é mentira deslavada. Pior foi o desgoverno da Rosengana, que corrompeu e roubou a Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão em nais de R$ 2 bilhões e não teve nada. Procuraram roubo do Dino e não acharam e ficam com mentiras, e isso é feio.

    ResponderExcluir
  3. O que vejo nos comentários, é que nível de escolaridade do Maranhão tá péssimo, isso é tudo fruto dos anos em que a máfia Sarney comandava o Maranhão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkk vdd esta pessoa que escreveu o primeiro comentário deveria procurar estudo pq hj tem o eja que foi acabado no governo da rosengana!!!

      Excluir
    2. Nada mudou com Flávio Dino.

      Excluir
  4. Esse é mestre! Veio aqui em Pedreiras com o maior alarde, inaugurar um Colégio cuja reforma estava era longe de acabar. Propaga na propaganda paga com nosso dinheiro a imagem de um Maranhão fantasiado. Sabe, tipo aquelas propagandas do horário político nas campanhas do PT, maior partido corrupto do país ao qual esse Flávio Dino tanto defende?

    ResponderExcluir
  5. Nada mudou com Flávio Dino.

    ResponderExcluir