segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Categoria cobra reajuste salarial e outros direitos ao município

“Vamos permanecer em frente a escola Educandário da Paz durante todo o dia e no final da tarde, iremos sair em caminhada pelas ruas da cidade de Paulo Ramos”, disse uma manifestante. 
Professores paralisam em Paulo Ramos nesta segunda e terça 
Como prometido, os professores da rede municipal de ensino de Paulo Ramos (MA) paralisaram as atividades nesta segunda-feira, 25 e nesta terça-feira, 26. A categoria reivindica o pagamento do piso salarial que pode chegar a 7%, estabelecido em janeiro deste ano, mas que até o momento não está sendo pago pelo município.

De acordo com núcleo municipal do Simproesemma, sindicato que representa os profissionais da educação naquele município, a categoria decidiu cruzar os braços em decorrência da falta de acordo entre a categoria e a Prefeitura, administrada pelo prefeito Deusimar Serra.

Os motivos que levaram a categoria a deflagrar a paralisação de advertência de 48 horas: desde de janeiro de 2017  a coordenação vem discutido a pauta de reivindicações com a atual gestão, até  agora atual gestão não lançou nenhuma proposta. Já tivemos vários dialogo, e não chegamos a nenhum acordo que seja benéfico  a categoria”, informaram.

Além do reajuste, outros direitos são reivindicados nesta paralisação de advertência.

“O movimento de greve ora liderado pelos os trabalhadores da rede municipal de ensino é uma reivindicação pelo cumprimento da lei n. 78/2011 que nos garantem os seguintes direitos:  reajuste, promoção, progressão, titulação, garantia dos direitos dos trabalhadores não docentes. Estamos exigindo que se cumpra a readequação da  carga horária dos trabalhadores das series iniciais”, afirmaram.

Segundo os docentes municipais paralisados, eles não pretendem prejudicar a educação com a greve, mas forçar o governo municipal a respeitar os direitos dos profissionais da educação.  
Paralisação de advertência vai durar dois dias 
“A greve é um instrumento legitimo de reivindicação e pressão em prol de uma luta justa e necessária. É angustiante, caros colegas, sabermos que nossos direitos cabem no papel, mas não são respeitados. O nosso intuito não é prejudicar os educandos e nem tampouco ficarmos de braços cruzados, se fazemos isso é porque somos praticamente obrigados pela a atual administração que não quer negociar com a categoria. A obrigação da gestão é de ouvir o grito uníssono da categoria. Então não fiquemos com medo de pegar falta, ou nós vamos pra luta ou então fiquemos caladinho vendo os nossos direitos  cair por terras.  Vamos nos mobilizar para que possamos mostrar à sociedade,  que os trabalhadores em educação são essenciais para construção de uma sociedade justa”, afirmaram.
No período da tarde, os professores pretende fazer uma caminhada pelas ruas de Paulo Ramos 
Os professores começaram o dia, por volta das 8h, mobilizados com faixas e cartazes em frente ao Colégio Educandário da Paz. Ainda segundo informações, após os dois dias de paralisação, caso o governo do prefeito Deusimar Serra não ofereça nenhum acordo, a categoria promete continuar com 30% da categoria em greve. 


13 comentários:

  1. Se os professor dai for igual aos daqui está despaixado.Querem receber sem trabalhà,querem meter dedos em comcurso,querem trabalhà 1 turno e recebr 2.Então não dá;
    um cadadão de poção

    ResponderExcluir
  2. É a coisa ta braba, isso é só o começo.Tem mesmo é q lutar por seus direitos.A luta continua.

    ResponderExcluir
  3. Esse sindicato dos professores da rede estadual e uma graça fazendo paralizaçâo na rede municipal e deixando o mesmo aumento de vista grossa na rede estadual.

    ResponderExcluir
  4. Todo trabalhador tem direto ao seu salário justo.Se estudamos é porque queremos um emprego digno, uma educaçao melhor aos nossos filhos, mais respeito perante a sociedade.Vergonha para esses politicos coruptos.

    ResponderExcluir
  5. Ñ sou de Paulo Ramos mais eu sei.. . A média salarial do professor desse município é maior que todas as cidades da região. Estão reclamando de barriga cheia.

    ResponderExcluir
  6. rapaz!!uma crise que o Brasil ta passando.e os professores pensando em aumento,fala serio?tem que pensar é na educaçao das crianças.quem sofre é as crianças nessa terrivel historia.minha opiniao é essa!pronro falei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa crise não é culpa de professores não. A culpa é dos governantes vagabundos.

      Excluir
  7. Gente mais como ele irá pagar isso ele mau pisar na cidade com medo dos agiotas o homem tá mais sujo que pau de galinheiro.

    ResponderExcluir
  8. Gente fica difícil mesmo ele pagar devendo um monte de agiotar como ele dever o cara mau pisar na cidade

    ResponderExcluir
  9. rapaz o negocio e serio. os professsores fazem greve. o prefeito no se manifesta, em nada e ruim para ambos os lado. principalmente para as criancas q no tem culpa alguma na historia.

    ResponderExcluir
  10. heeee....Os professores de Paulo Ramos só pensam em aumento , mais não querem fazer suas obrigações como educadores,só levam pra o lado politico e não para o lado profissional, ainda não ser conformaram que agora e outra gestão nova, e fica a pergunta do AR , porque os mesmo professores não foram pra ruas nos últimos 8 anos ????

    ResponderExcluir
  11. Votei nesse Prefeito que passou aqui prometendo mundos e fundos e não cumpriu nada agora venha pedir voto na minha casa seu prefeito cachorro

    ResponderExcluir
  12. Realmente de acordo com o plano de cargos e carreiras é para o professor de Paulo Ramos ganhar muito bem, mas esse plano não está sendo cumprido para todos, só para os da "panelinha"...

    ResponderExcluir

Facebook

Visualizações deste blog desde março de 2012

Em Pedreiras e Trizidela do Vale


,

Hotel em Pedreiras


Motos Honda


Matricule-se no Faculdade W. F.



Excursão para Jericoacoara


Motel em Pedreiras


Contrate Banda Skema 5 de Pedreiras



Cacau Show em Pedreiras


Provedor de internet



+ Lidas