sábado, 10 de março de 2018

Dormir em rede faz bem para coluna, afirma o médico Dr. César Filemon, ortopedista e traumatologista da BIOCENTRO de Pedreiras

Confira a entrevista na íntegra e estudos científicos de anos de Dr. César Filemon sobre o assunto!
Novidades na Medicina!!!! 

 Blogueira Mayane Mendes e Dr. César Filemon
O médico Dr. César Augusto Filemon Pinto, Ortopedista e traumatologista com título de especialista pela SBOT nº7005, formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) há 35 anos, discípulo do Prof. Nova Monteiro (Hospital Universitário Clementino Fraga e Hospital Miguel Couto RJ.) e do Professor Geraldo Pedra (Hospital Ortopédico de Goiânia), traz para a humanidade importante contribuição científica, que consiste em tratamento de rinite alérgica, lombalgias e lombolciatalgias. Ao Longo de sua carreira, atendeu mais de 600 mil pacientes em ambulatório e realizou mais de 35 mil procedimentos cirúrgicos. Observou que grande parte dos pacientes que o procurava queixavam-se de dores na coluna (lombalgias e lombolciatalgias); aproximadamente 30% ou seja 180.000 pacientes portadores desta sintomatologia.

Tais sintomatologias tinham como causas várias enfermidades: traumas (distensões musculares, fraturas) causas inflamatórias, causas infecciosas, causas tumorais, causas por desvios, causas por processos degenerativos e etc.
Continua...
Observou ao longo dos anos que os pacientes que dormiam em redes não apresentavam uma clínica tão exuberante quanto os pacientes que dormiam em colchões. Os processos degenerativos eram menos expressivos nos pacientes que dormiam em rede há mais tempo. Logo, passou a orientar seus pacientes a dormirem em redes. Observou como efeito imediato uma diminuição da sintomatologia e uma diminuição nas doses dos medicamentos como anti-inflamatórios e analgésicos, levando a um menor gasto econômico por diminuir a dose dos medicamentos e um retorno mais rápido em suas atividades profissionais; e como efeito mais tardio uma diminuição na evolução dessas patologias permitindo menor formação de processos degenerativos (menor envelhecimento).

Acompanhou, através de radiografias, um grupo de 120 pacientes sob a sua orientação, durante 25 anos, cujos pacientes tinham em média 40 anos no começo de sua pesquisa, esse grupo dividido em dois subgrupos. Um subgrupo (A) composto de 60 pacientes, orientado para dormir em rede e outro subgrupo (B) de 60 pacientes para dormir em colchão. Os pacientes que dormiam em redes demonstraram ao longo de 25 anos de acompanhamento uma evolução melhor do que o subgrupo que dormia em colchões, conseqüentemente os que dormiram em rede demonstraram menor envelhecimento ósseo (menor degeneração osteo-articular menor grau de artrose e clínica menos expressiva) e os que dormiram em colchão demonstraram processos degenerativos mais acentuados e uma clínica mais rica. Os pacientes do grupo A, quando orientados para retornarem a dormir em colchão, relataram recidiva das dores e optaram em continuar dormindo em rede.

Os Pacientes portadores de rinite alérgica, quando orientados a dormirem em rede, após alguns dias, relataram uma melhora significativa no quadro clínico da rinite alérgica. Situação essa explicada pela diminuição dos alergenos (ácaros do colchão e travesseiro).

Como toda causa tem seu efeito, ficou curioso em pesquisar e estudar o mecanismo que levou a melhora clínica desses pacientes, para mais tarde poder explicá-los.

A rede propicia aos portadores de patologias da coluna uma melhor fisiologia óssea, muscular e ligamentar, pelo mecanismo de rotação e de derrotação das vértebras, propiciando assim, alongamento e encurtamento dos ligamentos envolvidos. A rede dificulta a formação de osteófitos, conseqüentemente uma diminuição no processo degenerativo (artrose). Este mecanismo de rotação e derrotação dos corpos vertebrais é hoje conhecido nos Estados Unidos Da América como Tratamento Fisioterápico (Osteopatia). Além desse mecanismo Fisioterápico utilizado, existe outro muito importante, que é a dos fluidos terrestres.

Sabemos que a terra nos fornece a todo instante seus magnetismos (fluidos terrestres), importantes para fisiologia ósteo-articular. É comprovado que os pacientes que dormem em apartamentos, sobre vários pisos e sobre um colchão, tende a receber menor quantidade de fluidos terrestres e que quanto mais distante da fonte fornecedora deste magnetismo (funciona como isolantes), maior perturbação causará na harmonia fisiológica e biomecânica do organismo. Deus, como nosso criador, nos ofereceu recursos de forma perfeita para a contribuição de uma fisiologia ideal. Quanto maior o conforto, mais alto se torna o valor do "tributo" que pagamos ao retirar a harmonia do côncavo e do convexo. Vocês, portadores de rinite alérgica ou dor na coluna, façam o teste, a partir de hoje, passando a dormir em rede de forma adequada por um tempo expressivo (mais ou menos dois meses). Não se preocupem com a dificuldade de adaptação, pois mais ou menos uns 15 dias, o seu organismo físico se ajustará.

Um comentário:

  1. Isso eu já sabia desde uns 15 anos atras por experiencia própria, só durmo de rede, se dormir na cama, amanheço travado.

    ResponderExcluir