terça-feira, 17 de julho de 2018

Policia Federal e SEIC prendem em São Luís o chefe da quadrilha que clonou os telefones de Vinicius Louro e Fábio Macedo


Policia Federal e SEIC prenderam preventivamente em São Luís o chefe da quadrilha que aplicou golpes nos deputados estaduais Fábio Macedo (PDT) e Vinicius Louro (PR) e mais cinco deputados maranhenses. Outro comparsa também foi preso na operação. O líder do grupo, Leonel Pires Júnior, foi localizado no condomínio de luxo Ilhas Gregas, no Olho d`Água. Ele havia comprado o imóvel e mudado ontem. Além de Vinícius Louro e Fábio Macedo,, Júnior chegou a clonar no Maranhão os celulares dos deputados Rogério Cafeteira, Cleber Verde, Júnior Verde, Adriano Sarney e Valéria Macêdo. O telefone do prefeito Fred Maia, de Trizidela do Vale, também foi clonado.

Sete deputados no Maranhão são vítimas de golpes do falso empréstimo por contas bancarias
 

O pedido da operação teria partido da Presidência da República em razão de três ministros serem clonados, como Eliseu Padilha e Marun, por exemplo. Porém, a PF já estava apurando aqui em São Luís a prática do crime em conjunto com a Seic. No Mato Grosso do Sul foram feitas buscas e apreensões.

O crime cibernético consistia na clonagem do celular de uma autoridade e o bandido se passava pelo dono do aparelho e solicitava transferência bancária para amigos em razão do limite estar excedido e que devolveria no dia seguinte.

Confira abaixo o delegado da Seic que cuida da área de crimes cibernéticos falando sobre a prisão:


Líder do grupo que aplicou golpes em deputados, levou R$ 70 mil de Adriano Sarney

Dono de Lava Jato e ex-morador do Barramar, Leonel Silva Pires Júnior, vem sendo investigado desde 2016 quando iniciou os primeiros golpes pela internet para ganhar dinheiro de forma perigosa. Agora, entre julho de 2017 a julho de 2018, ele liderou cinco comparsas que aplicaram os golpes em sete deputados maranhenses. Só com Adriano Sarney, filho do deputado federal Sarney Filho, Leonel embolsou R$ 70 mil. Ele foi preso hoje de manhã numa operação da SEIC e PF.



Bastante conhecido nas baladas da capital, Leonel já namorou belas jovens da alta sociedade e ultimamente só morava em condomínios de alto padrão. Os negócios (golpes) estavam rendando um bom dinheiro e geralmente variavam entre R$ 10 a R$ 70 mil cada. Dos sete deputados sondados, apenas um escapou.


O líder do governo, deputado Rogério Cafeteira, foi mais esperto. Do outro lado do aparelho, pelo WhatsApp, um colega seu de parlamento lhe pediu emprestado R$ 10 mil por causa do limite excedido e que desejava pagar uma conta no valor do dinheiro solicitado.

Solicito, Cafeteira não se recusou em ajudar ao colega. Disse que faria a transferência, mas depois perguntou onde o parlamentar estava, que iria deixar o dinheiro em espécie no local. Na verdade, o falso parlamentar que havia clonado o aparelho do verdadeiro deputado, acertou que esperaria, mas que a transferência seria melhor. Cafeteira foi, mas o golpista não esperou.

Hoje, a SEIC a PF prenderam o grupo, incluindo o líder Leonel, que estava no condomínio Ilhas Gregas, no Olho D’Água, para onde havia mudado recentemente.

A ação da PF aconteceu simultaneamente no Maranhão, Mato Grosso do Sul e Brasília. Três ministros também tiveram os celulares clonados  e caíram no golpe.


Agora, no período da tarde, Leonel e seu grupo serão inquiridos na sede da PF por delegados federais e da SEIC. Falarão sobre os golpes e suas vítimas. Em seguida serão levados para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Com informações de Luís Cardoso (São Luís) 

3 comentários:

  1. Ladrão q rouba ladrão merece 100 anos de perdão kkkk

    ResponderExcluir
  2. Nesse pais só enrrica quem mexe com coisa ilegal,e depois ladrão k rouba ladrão,tem 100 anos de perdão

    ResponderExcluir
  3. Diz pra esse junho ai que eu pago dez mil pra ele clonar o celular de meu marido.kkkkk

    ResponderExcluir