Compartilhe essa Notícia:

Zé de Lessa liderava a quadrilha que roubou cerca de R$ 100 milhões durante a ação criminosa, ocorrida em 2018.



Quatro indivíduos morreram e um foi preso durante troca de tiros com a polícia na manhã desta quarta-feira (4) em chácara localizada entre as cidades de Aral Moreira e Coronel Sapucaia, no estado do Mato Grosso do Sul. Todos eles são suspeitos de integrar a quadrilha que atacou um carro-forte da empresa Brink’s na fronteira com o Paraguai, na segunda-feira (2).

Policiais estavam monitorando os suspeitos desde segunda-feira, e localizaram o esconderijo na noite de ontem, 03. Equipes estavam de tocaia, e na manhã desta terça-feira, 04, com mandados emitidos pelo juízo de Amambai em mãos, entraram na propriedade. Houve troca de tiros e alguns elementos ainda fugiram para uma área de mata.

Dentre os mortos durante a operação, está José Francisco Lumes, o Zé de Lessa, um dos assaltantes mais conhecidos do Nordeste, e que esteve envolvido no mega assalto ocorrido na cidade de Bacabal/MA, em 2018 (relembre). Na ocasião, a quadrilha assaltou uma agência bancária, trocou tiros com policiais e incendiou viaturas. Calcula-se que tenha sido roubado cerca de R$ 100 milhões durante a ação criminosa, Desse montante, R$ 3 milhões foram recuperados.

Na noite do assalto, quatro pessoas morreram, sendo três assaltantes e um morador da cidade. Duas pessoas foram agradas pela Polícia Militar dentro da agência recolhendo as cédulas deixadas pelos bandidos, e foram detidas.

Dezenas de assaltos, principalmente a agências bancárias, são atribuídos à quadrilha comandada por Zé de Lessa, que era considerado o “Ás de Ouro” do Baralho do Crime, organograma montado pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia para identificar os bandidos mais perigosos do estado.

Fonte - Jornal Pequeno
⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

2 Comentários

  1. Foi tarde não vai fazer falta

    ResponderExcluir
  2. Como o blogueiro é amante de bandidos (por exemplo: lula), com certeza estará de luto kkkk

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA