Compartilhe essa Notícia:

Os quatros municípios da Grande Ilha de São Luís serão as primeiras cidades brasileiras a adotar esse tipo de restrição, já adotado em regiões da China, da Espanha e em vigor em parte da Itália. Início será na próxima terça-feira.

Quatro cidades da Região Metropolitana de São Luís serão as primeiras do país a adotar o 'lockdown' (bloqueio total) em razão do coronavírus, sendo elas São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa. O início será na próxima terça-feira (5).

A medida foi determinada pela Justiça, a partir de ação do Ministério Público do Maranhão, após um levantamento constatar ritmo elevado de crescimento do coronavírus no estado. O governador Flávio Dino informou que irá seguir a medida. De acordo com a decisão, ficarão suspensas todas as atividades não essenciais à manutenção da vida e da saúde, com exceção de serviços de alimentação, farmácias, portos e indústrias que trabalham em turnos de 24 horas.
O que é o 'lockdown'

O 'lockdown' é a maior restrição possível na atuação contra o coronavírus. Esse tipo de recurso já foi adotado em regiões da Itália, onde ainda vigora, Espanha e China, entre outros países.

Como será o 'lockdown' na Grande São Luís

-Suspensão das atividades não essenciais, com exceção de serviços de alimentação, farmácias, portos e indústrias que trabalham em turnos de 24 horas;

-Proibição da entrada e saída de veículos por dez dias, com exceção para caminhões, ambulâncias, veículos transportando pessoas para atendimento de saúde e atividades de segurança;

-Suspensão da circulação de veículos particulares, sendo autorizados somente a saída para compra de alimentos ou medicamentos, para transporte de pessoas e atendimento de saúde, serviços de segurança ou considerados essenciais;

-Limitação da circulação de pessoas em espaços públicos;
Bancos e lotéricas abrem apenas para o pagamento do auxílio emergencial, salários e benefícios sem lotação máxima nesses ambientes, com organização de filas;

-O uso de máscara continua sendo obrigatório.

Mais

A decisão da Justiça aparece na contramão das ações do governo estadual que, na quarta (29), havia desmentido uma fake news de que haveria lockdown. Em nota, o governo havia dito que ainda não havia decisão sobre o tema e que "se e quando houver" decisão, seria divulgada somente nos canais oficiais.

Flávio Dino também falou que é necessário ter um 'sentimento coletivo' de que a taxa de contágio está sendo maior que a capacidade dos hospitais. Também afirmou que havia uma tendência de endurecimento de medidas restritivas apenas para a próxima semana.

Fonte: G1
⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

0 Comentários

Informe da ALEMA