Compartilhe essa Notícia:




Na tarde da última terça-feira (9), Pedreiras foi palco de uma manifestação do Movimento 'Vidas Negras Importam'. O ato tem como objetivo levantar debates sobre o racismo e a violência policial em nossa sociedade. 

Por conta do período de pandemia que a região enfrenta, houve participação de menos de 10 pessoas na manifestação, detalhe que foi planejado pela própria equipe que organizou o protesto na cidade. Durante a caminhada pelas ruas, os participantes também fizeram um esforço para cumprir com as regras de distanciamento. 

O grupo se reuniu na Prefeitura de Pedreiras, e exibindo cartazes contendo mensagens anti-racistas, iniciaram uma caminhada pela Avenida Rio Branco, com destino à agência da Caixa Econômica Federal, onde alguns participantes, entre eles a ex-secretária de cultura Francinete Braga e o fotojornalista Joaquim Cantanhede discursaram mensagens de apoio à população afro-brasileira. 

O movimento também mostrou seu posicionamento contra a violência policial, e apesar de lembrar da morte de George Floyd, homem negro que morreu sufocado por um policial branco nos Estados Unidos, os manifestantes também destacaram casos de racismo ocorridos em Pedreiras.

Em seguida, o grupo retomou a caminhada, dessa vez na outra mão da Avenida Rio Branco, em direção à Praça Correia de Araújo, local marcado para o encerramento da mobilização, onde os manifestantes finalizaram o protesto fazendo a saudação de punho erguido, usada pelo Movimento dos Panteras Negras. 

Vejas as imagens:














⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

9 Comentários

  1. É um bando de petista travestido de manifestante pacífico, só pela maozinha dá pra perceber

    ResponderExcluir
  2. Pela maozinha...sei não hein

    ResponderExcluir
  3. Pedreiras vive socialmente em paz entre as raças, portanto foi infeliz e desnecessário essa manifestação, isso é um problema dos EUA que essas pessoas sem noção importaram pra cá.

    ResponderExcluir
  4. A esquerdalha no Brasil junto com a Rede Globo, ficam tentando de todas as formas que aja no Brasil a separação e conflito entre as raças e classes sociais. Lamentável, pois convivíamos tão bem.

    ResponderExcluir
  5. O valor a vida é fundamental e importante. O movimento seria válido se esse fosse o alvo, agora dividir uma nação por raça é meio contraditório uma vez que todos nós somos mestiços ou sem raça definida. Lamento muito que ainda existe essa divisão acalorada de recentimentos. Presenciei por um momento a manifestação e o que vi ali foram pessoas de bem creio eu, só que ainda não entenderam isso.
    Somos todos povo brasileiro. E para que não venham me atacar, vou logo dizendo que tenho pele parda, sou descendente de negro e indio ( veja só a miscigenação) mas me considero apenas da raça brasileira.
    Precisamos quebrar esse tabu que separa nossa nação.

    ResponderExcluir
  6. Como sempre a turminha da baderna os comunista a turminha do politicamente correto vao trabalhar bando de femea desoculpada as louças devem ta tudo em cima da pia e os macho bom de estarem trabalhando mas o povo do pt nao gosta e verdade

    ResponderExcluir
  7. É falta do que fazer. Maria vai com as outras.

    ResponderExcluir
  8. Eles inventam o antirracismo, a vitimização , para se beneficiarem com cargos políticos doados pelos ESQUERDISTAS, dos quais são exímios defensores, não importam se são ladrões do dinheiro público, o que vale mesmo, é que eles são bem pagos, e cheios de privilégios patrocinados por uma parcelas de políticos corrúptos e bandidos eleitos, com uma grade ajuda dessas pessoas

    ResponderExcluir
  9. Eles inventam o antirracismo, a vitimização , para se beneficiarem com cargos políticos doados pelos ESQUERDISTAS, dos quais são exímios defensores, não importam se são ladrões do dinheiro público, o que vale mesmo, é que eles são bem pagos, e cheios de privilégios patrocinados por uma parcelas de políticos corrúptos e bandidos eleitos, com uma grade ajuda dessas pessoas !

    ResponderExcluir

Informe da ALEMA